Granjeai amigos


"Também vos digo: granjeai amigos com as riquezas da injustiça."
- Jesus (Lucas, 16:9)
Se o homem conseguisse, desde a experiência humana, devassar o pretérito profundo, chegaria mais rapidamente à conclusão de que todas as possibilidades que o felicitam, em conhecimento e saúde, provêm da Bonadade Divina e de que a maioria dos recursos materiais, à disposição de seus carpichos, procede da injustiça.
Não nos cabe particularizar e, sim, deduzir que as  concepções do direito humano se originam da influência divina, proque, quanto a nós outros, somos compelidos a reconhecer nossa vagarosa evolução individual do egoísmo feroz para o amor universalista, da iniquidade para a justiça real.
Bastará recordar, nesse sentido, que quase todos os Estados terrestres se levantaram, há séculos, sobre conquistas cruéis. Com exceções, os homens têm sido servos dissipadores que, no momento do ajuste, não se mostram a altura da mordomia.
Eis por que Jesus nos legou a parábola do empregado infiel, convidando-nos à  fraternidade sincera para que, através dela, encontremos o caminho de reabilitação.
O Mestre aconselhou-nos a granjear amigos, isto é, a dilatar o círculo de simpatias em que nos sintamos cada vez mais intensivamente amparados pelo espírito de cooperação e pelos valores intercessórios.
Se o nosso passado espiritual é sombrio e doloroso, busquemos simplificá-lo, adquirindo dedicações verdadeiras, que nos auxiliem através da subida áspera da redenção. Se não temos hoje determinadas ligações com as riquezas da injustiça, tivemo-las, ontem, e faze-se imprescindível aproveitar o tempo para o nosso reajustamento individual perante a Justiça Divina.
Fonte: Pão Nosso/Emannuel

Um comentário:

  1. Sabedoria de Emmanuel.
    Quanto mais amigos granjeamos, mais fazemos da nossa vida um caminho de luz!!!

    Um beijo!

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar. É uma enorme alegria tê-lo aqui! Abraço!