Biografia dos doze apóstolos de Jesus

Pedro

pedro.jpg

Originalmente chamado de Simão, era filho de Jonas (1) e irmão de André (2). Pedro era casado, e sua esposa o acompanhou em algumas viagens missionárias (3). Nascido em Betsaida, na Galiléia, antes de ser chamado por Jesus, trabalhava como pescador (4).

Pedro não fora educado religiosamente. Possuía forte sotaque da região da Galiléia (5). Era considerado como ignorante e sem estudo pelos líderes judaicos de Jerusalém (6). Pedro sempre encabeçava a lista dos discípulos de Jesus, não porque tenha sido o primeiro a ser chamado, mas provavelmente devido ao fato de exercer alguma liderança entre os apóstolos.

Ao que parece, Pedro, João e Tiago eram três apóstolos que possuíam os maiores dons mediúnicos. Formavam uma espécie de circulo esotérico do colégio apostólico de Jesus. Eram sempre os três escolhidos para missões especiais, principalmente aquelas que exigiam apurada sensibilidade mediúnica, sendo até citados por Paulo como as “colunas da comunidade” (7).

Pedro foi levado a Jesus por seu irmão André que lhe disse: “Achamos o Mestre” (8) Olhando Jesus para ele, disse: “Tu és Simão, filho de Jonas, tu serás chamado de Cefas (9). A palavra cefas, ou Pedro, quer dizer rocha ou pedra.

A vida do apóstolo Pedro apresenta três feições muito distintas. A primeira é período de aprendizagem de que o Evangelho nos dá conta. Nesse período, aprendeu a conhecer-se e ao seu Mestre. Ele, que havia jurado fidelidade incondicional a Jesus, terminou por negá-Lo três vezes. (10)

A segunda fase de sua vida é o período que ele toma a dianteira dos demais apóstolos na organização do colégio apostólico. Foi ele quem propôs a eleição para o preenchimento do lugar vago pela morte de Judas. (11). Foi ele quem explicou às multidões o fenômeno do Pentecostes (12). Através da sua palavra, explicou a multidão que a cura do coxo na Porta Formosa não fora operada por ele, mas pelo poder de Deus (13). Quando esse homem coxo, que vivia à porta do templo, pediu a João e Pedro, que andavam juntos, uma esmola, Pedro lhe disse: “Não tenho prata e nem ouro, mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo o nazareno, levanta-te e anda.” Tomando-o pela mão direita, levantou-o, e logo os seus pés e artelhos se firmaram. Saltando ele, pôs-se em pé e andou e entrou com eles no templo, andando, saltando e louvando a Deus (14).

A terceira fase ou feição da vida de Pedro se revela nas duas epístolas (cartas) escritas e inseridas no Novo Testamento. Outros fatos notáveis no apostolado de Pedro foi sua chamada “confissão”, acontecida nas cercanias de Cesáreia de Filipe, quando Jesus lhe pergunta sobre como as pessoas o viam e o que os próprios discípulos pensavam dele. Pedro foi o primeiro a confessar que Jesus Cristo era o Messias prometido no Antigo Testamento. Alem disso, reconheceu Jesus como o Filho de Deus vivo e que tinha as palavras da vida eterna (15). Essa verdade, não se desenvolveu por dedução, ou por algum meio humano, mas como revelação divina. Pedro aprendeu a importância de os discípulos de Jesus pagarem os impostos aos reis terrenos, não porque tivessem obrigações, mas porque o não-pagamento causaria dificuldades para a promoção do Evangelho (16).

Questionou Jesus sobre o perdão, perguntando-lhe: “Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete vezes?” Jesus lhe disse: Não te digo até sete, mas até setenta vezes sete.” (17)

No momento da prisão do Mestre, numa atitude impetuosa, cortou a orelha de Malco, servo do sumo sacerdote (18).  Cornélio, um homem temente a Deus, foi o primeiro gentio a ouvir o Evangelho por meio da pregação de Pedro (19). Foi Pedro também quem declarou que Deus concederia a salvação também aos gentios através dos ensinos de Jesus. Sua relutância inicial em levar-lhes o Evangelho, pois era judeu, foi vencida pela visão divina, através de sua mediunidade, onde mensageiros de Cornélio foram dirigidos até a casa onde ele estava hospedado (20).

O livro Atos mostra também que ele tomou iniciativa e falou contra a fraude de Ananias e Safira que, vendendo uma propriedade, roubou parte do preço. Desmascarado pela mediunidade de Pedro, Ananias e Safira caíram aos seus pés e expiraram. E um grande temor se apoderou de todos que presenciaram esses fatos (21).   A Casa do Caminho crescia e o povo tinha Pedro e os apóstolos em grande estima. De sorte que transportavam os enfermos para  as ruas, e punham em leitos e em camas para que ao menos a sombra de Pedro, quando este passasse, cobrisse alguns deles (22).

Depois de matar a espada Tiago, irmão de João, o rei Herodes mandou prender também a Pedro. Preso por duas cadeias guardadas por soldados, eis que sobreveio um anjo do Senhor, e resplandeceu uma luz na prisão; tocando Pedro na ilharga, despertou-o dizendo: “Levanta-te depressa. E caíram-lhe das mãos as cadeias (23).

Na carta aos Gálatas, Paulo comenta que ele e Pedro tiveram um desentendimento (24). Mas eles se amavam. Pedro, no final da sua vida, mostrou, numa de suas cartas, uma grande afetividade por Paulo, chamando-o de amado irmão.

Pedro era uma pessoa impulsiva, simples, humilde e sincera. Era rude, mas tinha uma emoção singela e ingênua cria com facilidade nas palavras de Jesus. Sob seu comando, atirou a rede ao mar sem questionar num lugar onde havia pescado a noite toda sem nada pegar. Sob as palavras de Jesus, teve a coragem de caminhar sobre as ondas do mar. Sucumbindo pelo medo, afundou (25).

A tradição diz que Pedro foi crucificado em Roma. Foi condenado como vil criminoso. Ao ser crucificado, não se achou digno de morrer do modo como Jesus morrera. Para supresa de todos, pediu para ser crucificado de cabeça para baixo.

  1. João 1:42
  2. Mateus 4:18
  3. Mateus 8:14; I Coríntios 9:5
  4. Marcos 1:16,20
  5. Mateus 26:33
  6. Atos 14:13
  7. Gálatas 2:9
  8. João 1:41
  9. João 1:42
  10. Mateus 26:69
  11. Atos 1:15
  12. Atos 2:14
  13. Atos 3:4
  14. Atos 3:1-8
  15. Mateus 16:16
  16. Mateus 17:27
  17. Mateus 18:21-2
  18. João 18:10
  19. Atos 10:1-34
  20. Atos 10:1-23;11:1-8
  21. Atos 5:1-11
  22. Atos 5:15
  23. Atos 12:1-7
  24. Gálatas 2,11-4
  25. Mateus 14, 28-31

Fonte de consulta: Livro “Talita Cumi”, páginas 189, 190, 191 e 192, autor Sergito de Souza Cavalcanti, editora Itapuã - 2006

 

6 comentários:

  1. Gianete olá.
    Excelente estudo.
    Mas, o importante é lembrar desse Mestre das Luzes, tocou na alma. Brilhor no espírito.
    Abraços luminosos com a mão amada do Mestre do Amor

    ResponderExcluir
  2. OOOOOOOOOHHHHHHHHHHHHHHH!!!!!!!!

    Que lindo seu blog!!!!!!!!

    Onde arranjou?

    Demais mesmo!

    Obrigada pelo carinho lá no SPA!

    Abençoada sejas.

    ResponderExcluir
  3. Como vai Gianete?
    Muito obrigado por suas palavras.
    Tenho andado um pouco ocupado.Por essa razão nem sempre consigo ler o que pretendo.De qualquer forma quero dizer que os seus ensinamentos muito me agradam.
    Quando estiver mais livre vou falar com você sobre assuntos que muito me interessam.

    Um beijo grande


    O LOBO

    ResponderExcluir
  4. Muito bom teu estudo!!!
    É um aprendizado!!!!

    Sabe que gostei da imagem que colocaste no início...que me parece pintura com espátula.
    Parabéns pelo blog

    Beijo,
    Jorge

    ResponderExcluir
  5. Querida, tem selo p vc aqui:

    http://spasoporagora.blogspot.com/2009/10/selo-friends-forever.html

    Bjo na alma!

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar. É uma enorme alegria tê-lo aqui! Abraço!