DIFERENCIAL DO ENSINO ESPÍRITA PARA CRIANÇA

DIFERENCIAL DO ENSINO ESPÍRITA PARA CRIANÇA

criança.jpg

Para atingir seu objetivo de transformação das almas, a Educação Espírita carece de metodologia apropriada. Um dos grandes equívocos, comuns nas atividades de Evangelização e Educação Espírita promovidos pelos centros, é não observar-se a metodologia espírita ao se abordar conteúdos espíritas. O Espiritismo é uma doutrina de apelo a razão, uma visão de mundo e de vida baseada numa filosofia racional, cujas conseqüências podem ser experimentadas e comprovadas. Esta experimentação inclui observações que podem ser feitas em eventos externos, mas também sentidas e rememoradas intimamente, quando o que a Doutrina ensina e aprendizagem do Espiritismo que já vimos ou vivemos.

O ensino e aprendizagem do Espiritismo para crianças é diferente do ensino religioso. Não se trata de aprender normas, preceitos e interpretações de textos, mas de incorporar uma visão de si mesmo e do significado da vida, que lhes permita o discernimento necessário às diversas situações com que se deparam.

O ensino religioso costuma ser impositivo, ou seja, pede aceitação de verdades compartilhadas pelo grupo, sem possibilidade de reflexão ou contestação.  Aprende-se, por exemplo, que é preciso cumprir determinado rito para pertencer ao rol dos filhos de Deus, e tal fato não oferece opção a não ser de concordância, se se pretende pertencer ao quadros de seus adeptos.

Ao contrário, não se espera que a criança espírita aprenda a crer em Deus ou na imortalidade porque o Espiritismo assim ensina, mas porque refletiu, confrontou com a lógica e os fatos, sentiu em seu coração e reconheceu em sua própria experiência a impossibilidade de que assim não seja,  assimilando este conceito à sua  visão da vida. Por isso, o ensino espírita vai muito além daquilo que o educador possa compartilhar verbalmente com conhecimento seu, mas pede criação de estratégias e oportunidades onde cada educando levante suas próprias hipóteses, questione tire suas próprias conclusões.

Por isso, o ensino espírita pede fatos do mundo, da ciência e da  sociedade que demonstrem a universalidade das leis que a vivencia do Espiritismo, quando aparece distante ou divorciado da realidade que ele mesmo leva a compreender, e com a qual também ajuda a lidar.

O ensino espírita visa o esclarecimento espiritual, e não a disseminação desta ou daquela visão religiosa ou prática devocional. Este esclarecimento se dá a partir da observação e experimentação individual e coletiva, da reflexão e interiorização de princípios cuja veracidade se é capaz de compreender por si mesmo, sempre na medida do desenvolvimento intelectual e moral.

Rita Foelker

O Semeador – Órgão de Divulgação da Aliança Municipal Espírita de Belo Horizonte

WWW.clubame.com.br


3 comentários:

  1. Olá Gianete,
    Muito lindo e racional, porém quando se evangeliza crianças que vem de lares onde pai e mãe não coadunam nem mesmo com a razão,tem de caminhar lentamente.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Sim é verdade. Lentamente e nos adaptando dentro da necessidade da criança. O resultado virá com toda certeza no futuro. O importante é todos nós estarmos unidos no trabalho levando para eles de modo sutil uma nova realidade diferente da qual vivencia. Teremos muitas lutas, assim com eles também, mas com a benção do Divino Mestre Jesus alcançaremos objetivos promissores. Paz seja contigo.

    ResponderExcluir
  3. Olá Gianete!

    Sou muito dado a esses mistérios embora nada tenha visto e nada saiba do assunto.Gostaria de falar sobre o assunto.

    O LOBO

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar. É uma enorme alegria tê-lo aqui! Abraço!