A PRECE SERÁ ÚTIL AS ALMAS SOFREDORAS?

A PRECE SERÁ ÚTIL ÀS ALMAS SOFREDORAS?

Todos os bons Espíritos a recomendam e os imperfeitos a pedem como meio de aliviar os seus sofrimentos. A alma, por que se pede, experimenta um consolo, porque vê na prece um testemunho de interesse, e o infeliz é sempre consolado, quando encontra pessoas que compartilhem de suas dores. De outro lado, pela prece o exortamos ao arrependimento e ao desejo de fazer o necessário para ser feliz; é neste sentido que se pode abreviar-lhe as penas, quando ele, de seu lado, o favorece com a sua boa-vontade.

Os Espíritos sempre disseram: "A forma não é nada, o pensamento é tudo. Faça cada qual a sua prece de acordo com as suas convicções, e da maneira que mais lhe agrade, pois um bom pensamento vale mais do que numerosas palavras que não tocam o coração."


Os Espíritos não prescrevem nenhuma fórmula absoluta de preces, e, quando nos dão alguma, é para orientar as nossas idéias, e, sobretudo, para chamar a nossa atenção sobre certos princípios da Doutrina Espírita. Ou ainda com o fim de ajudar as pessoas que sentem dificuldades em exprimir suas idéias, pois estas não consideram haver realmente orado, se não formularam bem os seus pensamentos.


Esta coletânea de preces é uma seleção das que os Espíritos ditaram em várias ocasiões. Podem ter ditado outras, em termos diferentes, apropriadas a diversas idéias ou a casos especiais, mas a forma pouco importa, se o pensamento fundamental é o mesmo. A finalidade da prece é elevar nossa alma a Deus. A diversidade das fórmulas não deve estabelecer nenhuma diferença entre os que Nele crêem, e menos ainda entre os adeptos do Espiritismo, porque Deus aceita todas, quando sinceras.


Não se deve considerar, portanto, esta coletânea, como um formulário absoluto, mas como uma variante das instruções dos Espíritos. É uma forma de aplicação dos princípios da moral evangélica, um complemento dos seus ditados sobre os nossos deveres para com Deus e o próximo, e no qual são relembrados todos os princípios da Doutrina.


O Espiritismo reconhece como boas as preces de todos os cultos, desde que sejam ditas de coração, e não apenas com os lábios. Não impõe, nem condena nenhuma. Deus é sumamente grande, segundo o Espiritismo, para repelir a voz que implora ou que lhe canta louvores, somente por não o fazer desta ou daquela maneira. Quem quer que condene as preces que não constem do seu formulário, demonstra desconhecer a grandeza de Deus. Acreditar que Deus se apegue a determinada fórmula, é atribuir-lhe a pequenez e as paixões humanas.


Uma das condições essenciais da prece, segundo São Paulo é a de ser inteligível, para que possa tocar o nosso espírito. Para isso, entretanto, não basta que ela seja proferida na língua habitual, pois há preces que, embora em termos populares, não dizem mais à nossa inteligência do que as de uma língua estranha, e por isso mesmo não nos tocam o coração. As poucas idéias que encerram são em geral sufocadas pela superabundância das palavras e pelo misticismo da linguagem. A principal qualidade da prece é a clareza. Ela deve ser simples e concisa, sem fraseologia inútil ou excesso de adjetivação, que não passam de meros ouropéis. Cada palavra deve ter o seu valor, exprimir uma idéia, tocar uma fibra da alma.

Enfim: deve levar à reflexão. E somente assim pode atingir o seu objetivo, pois, de outro modo não passa de palavrório. Vemos, entretanto, com que distração e volubilidade elas são proferidas, na maioria das vezes. Percebemos que os lábios, se agitam, mas, pela expressão fisionômica e pela própria voz, notamos que é um ato maquinal, puramente exterior, de que a alma não participa.
As preces aqui reunidas dividem-se em cinco categorias: 1a.) Preces gerais; 2.a) Preces pessoais; 3.a) Preces pelos outros; 4.a) Preces pelos Espíritos; 5.a) Preces pelos doentes e obsedados.

E.S.E., CAPÍTULO XXVIII - ALLAN KARDEC

PRECE PARA O LEVANTAR OU O PRINCIPIAR DO TRABALHO DIÁRIO

Pai, em todas as coisas que vos pedimos, faça-se a vossa vontade e não a nossa, por saberdes, melhor do que nós, o que nos convém para nosso adiantamento moral e felicidade futura.

Meu Deus, Vós que sois grande, que sois tudo, deixai cair sobre mim, que não existo senão por vossa vontade, um raio da divina luz. Fazei que, penetrado do vosso amor, me seja fácil praticar o bem e que eu tenha aversão ao mal; que animado pelo desejo de vos agradar, meu espírito vença os obstáculos que se opõem à vitória da verdade sobre o erro, da fraternidade sobre o egoísmo; fazei que em cada companheiro de provações eu veja um irmão, assim como vedes um filho em cada um dos seres que de Vós emanam e para Vós devem voltar.

Dai-me o amor do trabalho, que é o dever de todos sobre a Terra e, com o auxílio do archote que colocaste ao meu alcance, esclarecei-me sobre as imperfeições que retardam meu adiantamento nesta vida e na vindoura.

Texto Retirado do site http://www.comunidadeespirita.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar. É uma enorme alegria tê-lo aqui! Abraço!