Jesus


"E saiu da nuvem uma voz que dizia: este é o meu amado filho, a Ele ouvi" Lucas 9:35.

Após Moisés, outros profetas ou médiuns continuaram a trazer mensagens e orientações para os homens da Terra. Não só o povo judeu, mas também os iniciados nas Escolas de Sabedoria acreditavam e aguardavam a vinda de um Messias, de um Salvador, do próprio Cristo em carne e osso em nosso meio para libertar-nos da longa escravidão na Terra devido aos nossos erros e desacertos.
Essa libertação não era bem compreendida por todos os judeus, pois na época em que era esperada a vinda do Cristo, o povo judeu estava novamente escravizado, desta vez sob o julgo do grande Império Romano e muitos acreditavam em um novo Moisés que novamente salvaria o povo. Mas previamente selecionados, um grande número de homens e mulheres, adiantados espiritualmente, já estavam preparados para auxiliar o Mestre na sua grande tarefa.
A vida de Jesus é amplamente estudada e divulgada em todos os tempos e em muitos povos, mas o relato de sua vida e de seus ensinamentos escritos e reproduzidos pelos seus discípulos chamado Novo Testamento ou Evangelho, é onde encontramos toda a chave para compreendermos aquele que é o Caminho, a Verdade e a Vida.
Jesus nada escreveu de seu próprio punho. Tudo o que temos a seu respeito, como já dissemos, são anotações de seus discípulos, mas seriam necessários muitos livros para relatar uma vida tão magnífica como a do nosso querido Mestre.


Vocabulário:

Médium: "Toda pessoa que sente a influência dos espíritos em qualquer grau de intensidade." Portanto, todos são, mais ou menos médiuns no sentido geral. Livro dos Médins, cap. XIV,159.

Evangelho: é uma palavra de origem grega que significa Boa Nova. Essa Boa Nova é a notícia solene de uma doutrina moral, onde os exercícios da lei de justiça, com misericórdia, do saber e do amor, da humildade e da caridade, da fé e da esperança, fundamentam a ação da reforma íntima do ser humano, dando a ressurreição do Espírito o caráter de evolução, com responsabilidade individual e coletiva, possibilitando através do aprendizado e do convívio fraterno, o direito da graça e da honra de se conhecer a Deus, ingressando no seu reino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar. É uma enorme alegria tê-lo aqui! Abraço!