Ensejo ao bem


"Jesus, porém, lhe disse: Amigo, a que vieste? - Então, aproximando-se, lançaram mão de Jesus e o prenderam."
(Mateus, 26:50)

Os Evangelhos estão cobertos de ensinamentos de Jesus. Nesta passagem podemos perceber que não deixava nenhum momento para a prática do bem.
Sabia do posicionamento de Judas e na última ceia comenta amoroso sobre o assunto, na reunião da última ceia, sabia do suplício que passaria, no entanto quando chega Judas e o identifica com um beijo ainda o chama: Amigo, a que vieste?
Embora sabendo do ato de Judas que vinha acompanhado de soldados, o chama amigo. Não lhe retira a confiança, não o maldiz, não discute, não se entrega as reclamações.
Nesse gesto ensinou-nos Jesus que é preciso oferecer portas abertas ao bem, mesmo diante de todas as dificuldades que possamos passar, pela doença, o desemprego, a traição, a angústia, a tristeza, a dúvida, o medo, e etc. Porque devemos estar conscientes de que estamos num planeta de provas e expiações e que aqui, ainda, impera o mal mesclado com o bem. o Planeta passa por uma regeneração e passará a ser um planeta regenerado onde prevalece o bem. Nos preparemos para este momento onde Jesus separará o joio do trigo. Para que sejamos o trigo devemos até a última hora das experiências terrestres, trabalhar na prática do bem, do amor, da fraternidade e da caridade, mesmo que tenhamos que dar nossos testemunhos de fé através do calvário das dificuldades, mesmo porque, já estamos crucificados no corpo, justamente para este trabalho de renovação do homem velho para o homem novo.

Observação: Dentro dos ensinamentos de Jesus não podemos nos esquecer de alguns deles que é: Amai vossos inimigos! e o Perdoai para que sejam perdoados! Vemos muito, principalmente nessa época do ano, em que vão se comemorar as festas juninas a malhação do judas. Vamos tentar trazer os ensinamentos de Jesus para nossa vida atual, e buscar através de pesquisas e estudos conhecer como era a Palestina nos tempos do Mestre. Busquemos compreender quais foram os motivos que levaram Judas cometer tal ato; além do nosso irmão fazer parte de um partido político ele pensava e acreditava realmente que Jesus era o Messias, e que ele ao chegar os soldados se defenderia e mostraria o seu poder e conquistaria o trono. Mas, esse não era o objetivo do Mestre, e como ele mesmo disse O meu reino não é deste Mundo, se o fosse, os meus comandados viriam e me tirariam daqui, mas, por hora, meu reino não é deste mundo. Podemos condenar alguém por querer uma vida melhor? Uma vida melhor para os seus? O povo Hebreu desde a saída de suas terras em Ur (por causa da seca) com Abraão foram escravizados várias e várias vezes,( Egípcios,Babilônios,Romanos) . Era um povo sofrido cansado de tantas investidas esperavam ardorosamente pelo Messias para salvá-los, mas quando aparece Jesus, pobre, sem reinado algum, propondo o perdão, vivendo no meio de pessoas "chamadas impuras" não acreditaram nele. Por isso, e por pensar que nós hoje não nos diferenciamos muito dos pensamentos antigos e nem da vontade de Judas, oremos pelo nosso irmão, vamos passar a vê-lo como nós mesmos, que tantos e tantos erros cometemos e quantos traímos não só por um ato, mas pelos pensamentos e há varias maneiras de trair (não só a traiçao entre noivos, esposos, namorados) de muitas formas. Ele já passou pelo que tinha que passar, e basta que saibamos que este espírito sofreu muito e um dia conseguiu se erguer e foi recebido não uma vez, mas por várias vezes por Jesus com os braços abertos, pois ele mesmo, o perdoou antes que praticasse o ato - Amigo, a que viestes? Judas errou! Mas quem de nós não erra? O que seria de nós se não fossemos dignos do perdão? Se nós que somos maus, queremos o bem de nossos filhos! O que diremos de Deus, nosso Pai? Ele não nos perdoa todos os dias? Pensemos muito antes de dizer: Eu nunca perdoarei!

Muita Paz, luz e trabalho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar. É uma enorme alegria tê-lo aqui! Abraço!