Por que Espírito Azul?

"O nosso grupo achava-se sob a proteção de dois Espíritos elevados; um Jerônimo e outro, um Espírito feminino, cuja personalidade se ocultava sob vago pseudônimo, o "Espírito Azul" (assim o designávamos, porque os nossos médiuns o via envolto num véu azul.), era dotado de maravilhosa penetração. Lia no recesso dos corações, escrutava-lhes os mais secretos refolhos e, com admirável tato, numa voz doce e penetrante, pelo médium sonambulizado, nos ensinava a melhor nos conhecermos e nos indicava os meios de nos aperfeiçoarmos.
Cada membro do grupo, no curso das sessões, era a seu turno objeto de atenção e solicitude, e recebia seus conselhos maternais. Quando o "Espírito Azul" se incorporava, nós o reconhecíamos às primeiras frases proferidas, pelas suaves inflexões de voz; aguardávamos suas palavras e apreciações com verdadeira avidez. Ao retirar-se, deixava-nos sob uma impressão profunda, como se uma alma angélica tivesse pairado sobre nós e nos houvesse penetrado de seus eflúvios. Essa ação moralizadora e educativa durou anos, e foram sensíveis os seus resultados.
É preciso notar que, em sua maioria, os homens são inconscientes de seus defeitos. Ignoram-se a sim mesmos e acumulam faltas sobre faltas, sem disso advertir-se. Nesse ponto de vista, as indicações de nossos guias espirituais são preciosas. As do "Espírito Azul" produziram em muitos dentre nós sérias modificações, e, quanto a mim, posso dizer que com elas muito aproveitei..."

Léon Denis, No invisível/FEB, página 126 e 127.

Um comentário:

Obrigado por comentar. É uma enorme alegria tê-lo aqui! Abraço!