HOSPITAL DO SENHOR


Fui ao Hospital do Senhor fazer um "check-up" de rotina e constatei que estava doente.
Quando Jesus mediu minha pressão arterial, verificou que estava baixa de ternura.
Ao tirar a temperatura, o termômetro registrou 40 graus de egoísmo.
Fiz um eletrocardiograma e foi diagnosticado que necessitava de uma ponte de amor, pois minha artéria estava bloqueada e não estava abastecendo meu coração vazio.
Passei pela ortopedia, pois estava com dificuldade de andar lado a lado com meu irmão e não conseguia abraçá-lo por ter fraturado meu braço, ao tropeçar na minha vaidade.
Constatou-se miopia, pois não conseguia enxergar além das aparências. Queixei-me de não poder ouvi-lo e diagnosticou bloqueio em decorrência das palavras vazias do dia a dia.
Obrigado, Senhor, por não ter me cobrado a consulta, pela Sua grande misericórdia. Prometo, ao sair daqui, somente usar remédios naturais que me indicou e que estão no receituário de seu Evangelho.
Vou tomar diariamente, ao me levantar, chá de agradecimento; ao chegar no trabalho, beber uma colher de sopa de bom dia; e de hora em hora, um comprimido de paciência, com um copo de humildade.
Ao chegar em casa, Senhor, vou tomar diariamente, uma injeção de amor, e ao deitar, duas cápsulas de consciência tranquila.
Agindo assim, tenho a certeza de que não ficarei mais doente e todos os dias serão de confraternização e solidariedade.
Prometo prolongar esse tratamento preventivo por toda minha vida para, que quando me chamar, seja por morte natural.
Obrigado, Senhor, e perdoe-me por ter tomado seu tempo.
Do Seu Cliente.

Texto retirado do livro Além do que se Vê, Claudio Roque Bueno Ferreira e Wagner Veneziani Costa

Um comentário:

Obrigado por comentar. É uma enorme alegria tê-lo aqui! Abraço!